História da Acupuntura

Acupuntura é o conjunto de conhecimentos da medicina chinesa tradicional que visa à terapia e a cura das doenças através da aplicação de agulhas e de moxas, além de outras técnicas, como a ventosa. Esta ciência surgiu na China em plena Idade da Pedra, há aproximadamente 5.000 anos. No entanto, apesar de sua antigüidade, continua evoluindo. Com o moderno avanço tecnológico, outros instrumentos e técnicas como o ultra-som, as radiações infravermelhos, o raio laser e outros equipamentos vieram enriquecer seus recursos fisioterápicos.

As recentes pesquisas científicas tem contribuído muito para uma maior compreensão da Acupuntura. Apesar de ser uma ciência antiga, continua sendo um campo aberto à pesquisa e a novos conhecimentos. Assim, ao longo dos anos, tem havido muita inovação relacionada com seus princípios, meridianos e pontos.

Os conhecimentos da Acupuntura foram transmitidos de geração em geração. As recentes pesquisas demonstram que as velhas fórmulas e princípios da Acupuntura não foram ainda superados. Desse modo, aqueles que a praticam devem compenetrar-se de sua importância e estudar profundamente seus ensinamentos e diretrizes, pois somente assimilando-os, poderão contribuir para a evolução dessa antiga arte de curar.

De acordo com a medicina chinesa, o tratamento através da acupuntura visa à normalização dos órgãos doentes. Segundo a teoria da Acupuntura, todas as estruturas do organismo se encontram originalmente em equilíbrio pela atuação das energias Yin (negativas) e Yang (positivas). Por exemplo: pelo princípio de Yin e Yang pode-se explicar os fenômenos que ocorrem nos órgãos através dos conceitos de superficial e profundo, de excesso de deficiência, de calor e frio. Desse modo, se as energias Yin e Yang estiverem em perfeita harmonia, o organismo, certamente, estará com saúde. Por outro lado, um desequilíbrio gerará a doença. A arte da Acupuntura visa, através de sua técnica e procedimentos, estimular os pontos reflexos que tenham a propriedade de restabelecer o equilíbrio, alcançando-se, assim, resultados terapêuticos.

É difícil para a classe médica ocidental aceitar de imediato a medicina oriental em função dos fatos de ela ter se originado num outro contexto histórico-social; de ter trilhado outra via de desenvolvimento; e de basear-se em princípios e teorias difíceis de serem comprovados pelos parâmetros da medicina ocidental. Apesar da a Acupuntura produzir efeitos reais no tratamento de diversas doenças, e de seus processos terem sido esclarecidos pela pesquisa atual, ela possui características próprias que diferem, em muitos aspectos, da medicina moderna.

Agulhas de acupuntura

A primeira observação a este respeito, refere-se à nomenclatura. As fórmulas e conceitos da Acupuntura, sobre as doenças, são inteiramente diferentes dos conceitos da medicina moderna, pois resultam de uma experiência milenar. Conseqüentemente, muitas pessoas acreditam que a Acupuntura não satisfaz as condições exigidas pela prática científica, visto que seus processos terapêuticos não são ainda totalmente compreendidos pela ciência atual. Esse fato tornou-a vítima da incredulidade por parte de muitos profissionais que, assim, lhe negam uma atenção e pesquisa mais profundas. Em muitas sociedades, a falta de conhecimento sobre este assunto faz com que a Acupuntura seja exercida por leigos, que escapam ao controle e incorporação dos órgãos oficiais das áreas de saúde. Por causa deste panorama, muitos médicos, por temerem ser apontados como charlatões, sentem-se constrangidos em buscar um intercâmbio de conhecimentos com os acupunturistas.

Os chineses da Idade da Pedra descobriram que o aquecimento do corpo com areia ou pedra quente aliviava as dores abdominais e articulares. Essa foi a origem da moxa.

Em várias partes da China foram encontrados Zhem Shih – agulhas de pedra – que datam da Idade da pedra. Essas agulhas diferem das de costura e, por terem sido encontradas juntamente com outros instrumentos de cura, presume-se que a Acupuntura já era conhecida e praticada naquela época.

Não há documentos que indiquem precisamente como foi o desenvolvimento inicial da Acupuntura, mas sabe-se que, desde tempos remotos, esta era uma arte muito difundida entre os chineses.

A evolução da humanidade trouxe o aperfeiçoamento dessa técnica. No início as agulhas eram de pedra; hoje são de ligas de prata, de ouro ou aço inoxidável.

Também houve desenvolvimento no uso da moxa, que da utilização de plantas passou para o infravermelho, ultra-som, corrente elétrica e raio laser.

Historicamente houve também uma expansão geográfica da Acupuntura que da China, se difundiu por todo o Oriente (por exemplo, durante a Dinastia Tang, 400 d. C., ela chegou ao Japão) e, mais recentemente, por todo o mundo.

Atualmente, com o auxílio da moderna tecnologia, estão sendo feitas muitas pesquisas sobe a função e o mecanismo de ação da Acupuntura.